Moving time  5 hours 56 minutes

Time  21 hours 19 minutes

Coordinates 3041

Uploaded March 24, 2021

Recorded March 2021

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
6,745 ft
3,893 ft
0
2.6
5.2
10.44 mi

Viewed 390 times, downloaded 19 times

near São Francisco Xavier, São Paulo (Brazil)

Travessia da Serra dos Poncianos realizada entre os dias 23 e 24 de março de 2021 com saída de São Francisco Xavier e pernoite no Pico do Selado, passando pelos chamados 7 Cumes: Pico da Onça, Pedra do Abismo, Pedra do Rochedo (também chamado de Pedregulho ou Pedra Bonita), Pedra Partida, Pedra Redonda, Chapéu de Bispo e Pico do Selado.
Acabei registrando o tracklog somente do trecho de ida pois tive problema com a bateria do celular, mas na volta eu fui seguindo o meu próprio registro do dia anterior e não tive problema algum!
Diante de suas peculiaridades, vou relatar cada um dos trechos da travessia individualmente, destacando as questões envolvendo o esforço físico do trecho, a dificuldade de navegação e orientação, bem como se a trilha estava “suja” (no sentido de muito fechada por vegetação).
Ao final vou deixar algumas dicas gerais sobre a travessia nos aspectos de estacionamento, água, comida, pernoite e outros pontos que achei importantes.
Vale ressaltar também que desde meados de 2020 o Município de Monte Verde proibiu o acesso às trilhas se não for com guia autorizado. Tem uma placa logo após o estacionamento do pico da onça informando a proibição, bem como uma guarita de fiscalização no começo da trilha autoguiada que leva à Pedra Redonda. Como fui durante semana em um período que a cidade estava fechada para turistas a guarita estava vazia, de forma que não tive maiores problemas para fazer a travessia, mas daí fica pela conta e risco de cada pessoa que for fazer.

(1) SÃO FRANCISCO XAVIER – PICO DA ONÇA:
Trecho que mais exige no aspecto de esforço físico, com uma elevação de cerca de 750 metros de altitude. No entanto, a trilha é bem demarcada e não há qualquer dificuldade do ponto de vista da navegação e orientação. A trilha possui diversas pedras que podem atrapalhar um pouco a locomoção, e também está mais suja em alguns trechos, mas nada que imponha maiores dificuldades.
(2) PICO DA ONÇA – PEDRA DO ABISMO E PEDRA DO ROCHEDO:
Trecho bem tranquilo do ponto de vista do esforço físico, já que o acesso aos cumes após o pico da onça é feito pela própria crista da serra, sem grandes descidas ou subidas (com exceção de uma pequena elevação próxima à Pedra do Rochedo). Existem algumas bifurcações na trilha que leva à Pedra do Abismo e Pedra do Rochedo, mas acompanhando o tracklog não tem muito como errar. A trilha estava bem limpa, já que a vegetação nesse trecho é bem espaçada.
(3) PEDRA DO ABISMO E PEDRA DO ROCHEDO – PEDRA PARTIDA:
Definitivamente o trecho mais complicado do ponto de vista da navegação e orientação na trilha. Existem diversas bifurcações por todo o caminho, principalmente na chegada e saída de um descampado (“área de camping”) próximo ao riacho, onde encontrei cerca de seis cavalos que acabam abrindo novas picadas e trilhas, o que dificulta ainda mais a orientação. Quando estava voltando percebi que acabei fazendo uma trilha alternativa na saída do riacho, já que havia uma outra bem mais demarcada que eu tenho quase certeza que também levaria à área de camping – acabei não testando na volta pois a bateria do celular estava acabando, fiquei com medo de ficar sem GPS nesse trecho. Também o acesso na chegada da Pedra Partida é complicado, já que existem diversas bifurcações, sendo que uma delas levava à base da Pedra Partida, onde seria necessário fazer uma escalaminhada por um trecho de pedra íngreme. Acabei encontrando uma outra trilha que subia mais um pouco pela mata, daí já cheguei bem mais próximo ao cume e somente tive que fazer um “zigue-zague” na pedra para chegar ao topo da Pedra Partida.
(4) PEDRA PARTIDA – PEDRA REDONDA:
Esse trecho é o que estava com a trilha mais “suja” de todos, com a vegetação muito alta e diversos bambus finos que cruzavam a trilha, que acabavam prendendo na mochila e obrigando em alguns momentos a quase engatinhar para conseguir passar. Recomendo fortemente o uso de calça e camiseta de manga longa (ou algum casaco) para evitar arranhões, insetos e aquela coceira chata depois de passar roçando o mato. Tem algumas bifurcações no caminho que podem confundir, mas pelo que eu vi na maior parte das vezes elas voltam a se encontrar mais pra frente. De qualquer forma, vale a pena ficar atento para seguir o caminho que fiz no tracklog, que não teve erro. No final da descida a gente chega na trilha autoguiada que leva à Pedra Redonda e temos que subir por mais alguns metros.
(5) PEDRA REDONDA – CHAPÉU DO BISPO:
Após voltar pela trilha autoguiada tem que passar próximo à cidade em uma estrada de terra onde se encontra o chamado “Portal”, uma guarita de fiscalização para evitar que as pessoas façam a trilha sem guia autorizado. Depois de passar a guarita, a trilha até o Chapéu de Bispo encontra-se fechada com uma cerca de arame farpado e uma placa de propriedade particular (não sei se está proibido o acesso mesmo com guia autorizado). De qualquer forma, cerca de uns 7 metros após a cerca abriram uma entrada pela mata que permite o acesso pela trilha, que é bem demarcada e não apresenta maiores dificuldades de navegação e orientação até o Chapéu do Bispo (mas é uma subidinha que dá uma canseira!!).
(6) CHAPÉU DO BISPO – PICO DO SELADO:
Depois do Chapéu do Bispo a trilha continua pela crista da serra até o Pico do Selado, então não tem grandes desníveis (na verdade é uma subidinha bem gradual). Do ponto de vista da orientação e navegação, a dificuldade maior é quando a trilha pela mata acaba e temos que passar por um maciço de pedra (por exemplo, na chamada “Pedra do Platô” e em alguns outros maciços depois dela) e encontrar novamente a marcação da trilha pela vegetação. Tirando isso não vejo maiores dificuldades. A trilha do cume do Pico do Selado até a área de camping está um pouco “suja”, mas não tive maiores dificuldades pra encontrar o caminho.

CLASSIFICAÇÃO DA TRILHA: MODERADA
Apesar do percurso todo ser de quase 17km com uma elevação acumulada de 1300m (no trecho da ida de São Francisco Xavier até o Pico do Selado), considero que a travessia é de nível moderado, principalmente em relação a outras que existem na região sul e sudeste – por exemplo, Pico Paraná, Travessia da Serra Fina, Pico dos Marins e Itaguaré, Travessia de Petrópolis x Teresópolis, entre outras.
No entanto, fica o alerta que essa classificação de moderada é bem relativa, e foi feita para pensando em pessoas que já possuem experiências em trilhas - se não for o seu caso, considere como "difícil" ou até mesmo "muito difícil", dependendo de seu condicionamento físico.

DICAS:
(1) ESTACIONAMENTO:
Para quem está indo de carro até São Francisco Xavier tem uma dica muito boa para achar o “estacionamento” (que na verdade é uma área aberta com grama próximo à Fazenda Monte Verde): basta pesquisar por “estacionamento pico da onça” no Google Maps. Apesar de ser um local aberto eu já deixei o carro algumas vezes no local e nunca tive problemas!
(2) ÁGUA:
Optei por levar 1,5L de água na Travessia. A subida até o pico da onça conta com uns seis pontos de coleta de água (tive que tirar do tracklog pois atingi o limite de waypoints). Depois disso a gente passa por um riacho entre a Pedra do Abismo e a Pedra Partida. Na descida da trilha autoguiada da Pedra Bonita no sentido da estrada de terra de Monte Verde tem mais uma fonte de água, e também é possível coletar na guarita de fiscalização (“Portal”) – lembrando que se estiver tendo fiscalização você pode ter problemas. No entanto, após o início da Trilha do Chapéu de Bispo até o Pico do Selado (que é mais ou menos o último terço da travessia) eu não encontrei mais nenhum ponto de coleta de água, então sugiro que se for levar apenas 1,5L racionalize para fazer o pernoite (eu mesmo sai do Pico do Selado no dia seguinte sem nada de água).
(3) COMIDA:
Como é uma travessia com só um pernoite eu entendo que não é necessário levar fogareiro para fazer comida, uns sanduíches e snacks já resolvem o problema. Acabei levando fogareiro mais pela graça e vontade de fazer uma comidinha quente, mas lembrem-se que esse peso te acompanha pelo resto da travessia! Hahaha. De qualquer forma, fazer fogueiras, além de ser proibido, acaba deteriorando os lugares e pode ser bem perigoso, então não faça!!!
(4) CAMPING:
Sem contar as possibilidades envolvendo montar a barraca no meio do mato, considero que existem na travessia três áreas boas para acampar: a área de camping logo após o cume do Pico da Onça; o descampado entre a Pedra do Abismo e a Pedra Partida (que na volta tinha uns seis cavalos, então não sei como seria acampar lá hahaha); e a área de camping após o cume do Pico do Selado (que sem dúvidas é a mais bonita dessas três, com vista pra todos os “mares de morro” da região!)
(5) NAVEGAÇÃO E ORIENTAÇÃO:
Durante toda a travessia existem diversas bifurcações, que acabei não marcando no tracklog por conta do limite de waypoints que o Wikiloc impõe (o que só descobri que existia no fim da travessia, quando tive que excluir diversas marcações). De qualquer forma, fica o alerta de que considero MUITO importante fazer a travessia com GPS, ainda que pelo celular. Na volta eu mesmo tentei fazer alguns trechos sem GPS e acabei me perdendo, então não vacilem!

É isso pessoal, tentei fazer o relato mais detalhado possível pra ajudar a comunidade trilheira que deseja fazer essa travessia. Fiquei bem preocupado com a questão da proibição de acesso às trilhas sem guia autorizado e também pelo fechamento das trilhas que levam ao Chapéu de Bispo e o Pico do Selado (pelo menos no trecho após a guarita, que foi o que eu vi). Espero que não acabem com o turismo de montanha de Monte Verde, que considero um ótimo lugar para quem está iniciando no mundo das trilhas.
Qualquer dúvida deixe nos comentários que vou tentar responder o mais brevemente possível!
Abraços,
Paulo Sampaio
Parking

Estacionamento

Estacionamento aberto para deixar iniciar trilha do pico da onça. A dica é pesquisar no Google Maps por "estacionamento pico da onça" que já vai dar direto nesse local!
Information point

Ponto de informação

Placa informando que o acesso à trilha do Pico da Onça é permitido somente com condutor autorizado (o que eu considero um absurdo). Mas da pra passar sem problemas pelo mata burro ao lado do portão
Fountain

Fonte

Fountain

Fonte

Fountain

Fonte

Fountain

Fonte

Fountain

Fonte

Intersection

Bifurcação entre a trilha que leva a Monte Verde pelo bosque dos duendes e a trilha do Pico da Onça

Information point

Poncianos 05

Placa da Melhoramentos informando sobre local "Poncianos 05"
Panorama

Mirantinho

Panorama

Mirante

Intersection

Bifurcação Mirante X Pico da Onça

Summit

Cume Pico da Onça

Intersection

Bifurcação Pico da Onça Cume X Área de Camping

Camping

Área de Camping Pico da Onça

Waypoint

Início da Trilha da Pedra do Abismo

Intersection

Bifurcação da Pedra do Abismo e Pedra Partida

Intersection

Bifurcação

Para quem está indo à Pedra do Abismo é necessário virar à esquerda. A picada da direita termina alguns metros depois (não sei se era algum corta caminho para a trilha principal da Pedra Partida)
Intersection

Interseção

Intersection

Bifurcação da trilha da Pedra do Abismo e Pedra do Rochedo X Pedra do Rochedo (Bonita)

Waypoint

Fim da trilha da Pedra do Rochedo

Continuei seguindo depois da Pedra do Rochedo (Bonita) pois tinha visto algumas picadas no mato baixo, mas nesse ponto o mato ficou bem mais alto e não encontrei algum lugar pra passar. Pelo que vi no mapa tem uma pedra grande mãos pra frente, mas não sei se tem nome (e nem se tem como chegar)
Summit

Cume Pedra do Rochedo (Pedra Bonita)

Uma pedra bem grande que não apresenta um "cume" que se destaca, acaba sendo mais um maciço de pedra. É possível pernoitar aqui, mas o relevo não é tão plano, então possivelmente será desconfortável.
Waypoint

Fim da Trilha da Bifurcação

Na volta da Pedra do Abismo sentido Pedra Partida, tentei seguir pela bifurcação para ver se iria encontrar na trilha principal, mas alguns metros depois ela já não fica visível. Preferi fazer o retorno para voltar à trilha da Pedra Partida
Camping

Área para Camping

Um gramado com área bem grande e plana, com cerca de 15m de diâmetro, próximo a um riacho. Encontrei cerca de seis cavalos pastando na volta da travessia, então não sei como seria um possível camping no local.
Fountain

Fonte

Waypoint

Atravessar o riacho para continuação da trilha

Acabei fazendo esse caminho do Riacho até a Pedra Partida, mas na volta da travessia encontrei uma outra trilha bem mais demarcada, e vi que essa era uma trilha paralela. Então sigam por conta e risco!
Panorama

Vista de Monte Verde

Intersection

Bifurcação

Os dois caminhos levam à Pedra Partida. Acontece que se voce seguir o da direita irá sair bem na base da Pedra Partida, e será obrigado a realizar uma escalaminhada que considero perigosa por conta da inclinação. Pelo caminho da esquerda da para subir bastante pelo meio do mato, dai chegamos bem próximo ao cume da Pedra Partida (nesse caso só vai ser preciso fazer um "zigue-zague" pela pedra)
Intersection

Interseção

Summit

Cume da Pedra Partida

Quando chegar na base da Pedra Partida, seguir contornando ela pela direita e depois fazer um movimento de zigue-zague rumo ao topo.
Panorama

Mirante

Information point

Placa Pedra Partida

Waypoint

'Escada' de pedras com corda

Intersection

Interseção

Waypoint

'Barreira' no começo da trilha para a Pedra Redonda

Information point

Não entrar por aqui

Trilha degradada em recuperação, não utilizar esse trecho (fazer o caminho que usei no tracklog)
Summit

Pedra Redonda

Panorama

Mirante em deck de madeira

Intersection

Seguir a direita

Waypoint

Antiga trilha degradada em recuperação

Fountain

Fonte

Último ponto de coleta de água para quem está indo no sentido da Pedra Partida (tirando as torneiras que existem na guarita de fiscalização. Hora de se hidratar bem e encher as garrafas!
Information point

Guarita de Fiscalização

Information point

Placa com proibição de acesso para a trilha do Chapéu do Bispo e Pico do Selado

Cerca de uns 7 metros após essa placa as pessoas abriram uma entrada pela mata, que dá acesso à essa trilha.
Intersection

Bifurcação do acesso alternativo com o principal para a trilha do Chapéu de Bispo

Summit

Chapéu do Bispo

Summit

Pedra do Platô

Junção das trilhas de Monte Verde e do Chapéu do Bispo rumo ao Pico do Selado
Panorama

Panorama

Camping

Camping do Pico do Selado

Summit

Cume do pico do selado

13 comments

  • Photo of aacoelho

    aacoelho Mar 26, 2021

    Bom dia Paulo
    Muito detalhado o seu relato, parabéns.
    Fiz essa trilha em 2019, esse trecho entre a Pedra Partida e a Pedra Redonda estava bem tranquilo para passar. A parte alta do percurso tem uma infinidade de bifurcações é preciso muita atenção para não se perder. O trecho que estava mais complicado era entre a Pedra da Onça e Pedra Partida, com trechos onde a trilha desaparecia coberta pela vegetação rasteira.
    Essa exigência de contratação de guia também encontrei em Ilhabela no Pico do Baepi.
    Não sei se por conta da pandemia, mas essa exigência barra quem estiver fazendo uma travessia ou for acampar na montanha.
    No caso da Serra dos Poncianos a solução é subir por São Francisco Xavier e deixar Monte Verde para o pessoal que curte lojinhas e restaurantes.
    abraços

  • Photo of aacoelho

    aacoelho Mar 26, 2021

    I have followed this trail  View more

    Trilha moderada para quem tem bom preparo físico.

  • julianavquarenta Mar 26, 2021

    Ótima descrição, obrigada! Quero fazer essa travessia logo!

  • Photo of Paulo Sampa

    Paulo Sampa Mar 26, 2021

    @julianavquarenta: Obrigado, espero que você faça a travessia em breve, vale muito a pena!!

    @aacoelho: Obrigado pelo comentário. Eu já havia feito o trecho de Monte Verde até a Pedra Partida e realmente me impressionei como a trilha está suja, com vegetação bem alta e diversos bambus finos no caminho que dificultam a passagem, parece que não tem muitas pessoas fazendo o trajeto... E o da Pedra da Onça até a Pedra Partida continua bem complicado, como voce disse, é uma vegetação bem baixa e com diversas bifurcações, fácil se perder sem o GPS! Nunca fui ao Pico do Baepi, mas para as trilhas de Monte Verde acho um absurdo cobrarem de 150 a 200 reais pra fazer 30minutos de trilha até a Pedra Redonda. O problema é que mesmo vindo de São Francisco Xavier quem quer fazer a travessia precisa passar pela guarita de fiscalização em Monte Verde, então imagino que isso vai ser um problema. Espero que não acabem com aquelas trilhas e travessia!!
    Abraços

  • Photo of DaCaxa

    DaCaxa May 9, 2021

    Fala Paulo!
    Boa tarde! Beleza?!
    Cara, muito boa massa a descrição da trilha! Ainda estou estudando sua descrição e os comentários relatados aqui acima.

    O que eu queria saber o tempo que você no seu percurso por dia.
    Valeu!

  • Photo of Paulo Sampa

    Paulo Sampa May 9, 2021

    Obrigado, DaCaxa! Então, na ida eu sai do estacionamento umas 9hrs e devo ter chegado no final da tarde no pico do selado, umas 17hrs, mas fui parando em todos os picos e indo bem tranquilo. No dia seguinte na volta pro estacionamento eu fui direto, sem passar pelos picos, dai eu demorei umas 4h30 no total mas em um ritmo bom... Lembrando que isso tudo eu fiz com uma mochila cargueira de uns 12kg. Qualquer duvida é só mandar mensagem, abraço!!

  • Photo of DaCaxa

    DaCaxa May 9, 2021

    Legal Paulo!
    Obrigado pelas orientações.

  • Photo of Alair Junior

    Alair Junior May 10, 2021

    Parabéns pelo relato!!!

    Existe a possibilidade de fazer a travessia sem acampar? Valewwww

  • Photo of Paulo Sampa

    Paulo Sampa May 10, 2021

    Fala, Alair. Valeu! Vc diz fazer um bate e volta? Se for isso, é possível, mas tem que estar muito bem fisicamente, já que são mais de 30km com um desnível acumulado bem alto! Agora se você está perguntando sobre passar a noite em outro lugar que não em barraca, dá pra vc ir de SFX até monte verde e passar a noite na cidade, no dia seguinte sobe pro Pico do Selado e já volta no mesmo dia pra SFX. Tem um outro caminho que sobe direto de monte verde pra SFX pelo vale dos duendes, vc acha no wikiloc, ele é mais fácil do que indo pela Pedra Partida. Lembrando também que não sei como está a questão da fiscalização nas trilhas, já que o município de monte verde tá exigindo acompanhamento de guia autorizado pra passar pela guarita! Abraços

  • Photo of Alair Junior

    Alair Junior May 11, 2021

    Mto obrigado!!! É fazer no mesmo dia sim. Vlw mano

  • Photo of DaCaxa

    DaCaxa May 19, 2021

    Fala Paulo! Beleza?
    Cara, mais um pergunta. A área do camping no Pico Selado é no maciço de pedra ou é possível acampar solo (terra)?

  • Photo of Paulo Sampa

    Paulo Sampa May 20, 2021

    E ai, DaCaxa! Então, eu montei a barraca no maciço mesmo, mas se não me engano do lado tem uma pequena área com uma grama baixa que cabe uma barraca de 2 lugares... uns 50metros antes desse maciço (perto do lugar wue some pro cume) tem uma outra área de camping em grama tb, deve caber umas duas barracas apertadas!

  • Photo of DaCaxa

    DaCaxa May 20, 2021

    Massa Paulo!
    Novamente valeu pelas dicas!
    Devo fazer a trilha ainda este mês

You can or this trail