Time  6 hours 25 minutes

Coordinates 2098

Uploaded December 1, 2018

Recorded December 2018

-
-
2,506 f
1,333 f
0
2.5
4.9
9.85 mi

Viewed 96 times, downloaded 6 times

near Soalhais, Porto (Portugal)

- Percurso circular, com marcações nos dois sentidos;
- O percurso tem início junto da Igreja Matriz de Soalhães, decorrendo, posteriormente, numa área montanhosa (a Serra da Aboboreira) de elevado valor cultural e natural, preservada pelo progresso urbanístico, por séculos de isolamento geográfico e pela subsequente desertificação humana. Assim, durante o trajeto, percorrem-se caminhos antigos, ladeados por muros de pedra, muitas vezes escavados na rocha-mãe, por sua vez rasgados pelas rodas dos carros de bois. Além disto, as gentes destas terras, ancestralmente adaptadas aos ambientes rurais e vivendo em tradicionais casas graníticas de arquitectura tipicamente portuguesa, ainda cultivam o campo à força braçal e animal.
Tal ambiente, calmo e pouco povoado, propicia a existência de refúgios ecológicos para inúmeras espécies da fauna e da flora. Deste modo, ao longo do itinerário, os pedestrianistas percorrem bosques de carvalhos, eucaliptos e pinheiros; campos de cultivo sobranceiros às aldeias e zonas de vegetação arbustiva. É ainda de frisar uma característica nesta zona: a utilização de ervas aromáticas na gastronomia e na medicina tradicional, tais como o rosmaninho, o alecrim, o louro, a hortelã, a salsa, o funcho, a arruda, o trovisco, a cidreira, a marcela, a arnica, os agriões e os poejos. No âmbito da fauna, a serra da Aboboreira serve de habitat para várias espécies de invertebrados, destacando-se as borboletas e escaravelhos, entre outros. No entanto, nesta região encontram-se ainda, aproximadamente, 68 espécies de vertebrados terrestres, não incluindo as aves, dando-se o destaque para a salamandra-lusitânica, a rã-ibérica, o lagarto-de-água e a toupeira-de-água, entre muitos outros exemplares. Relativamente aos mamíferos destacam-se o javali, o coelho bravo, a lebre, a raposa e o gato-bravo. Ao mesmo tempo, na fauna doméstica, encontram-se ovinos e caprinos, que pastoreiam na encosta da serra (permitindo a confeção do saboroso queijo fresco), assim como os bovinos, utilizado ainda nas lavouras tradicionais.
Matizando a paisagem, podem observar-se grandiosos rochedos com formas finamente arredondadas, lembrando silenciosos guardiões da serra. Umas vezes são usados como escudos protetores dos temporais, justificando o facto de antigamente o povo partilhar com eles o seu lar, ao construir as suas casas a elas encostadas. Outras vezes, estes geomonumentos, pela desproporção e “equilíbrio ameaçador” em que se encontram, inclinados sobre as habitações, parecem querer recordar ao Homem a sua pequenez e a realidade da sua existência estar nas mãos do destino.
Importa ainda referir que é possível assistir à trituração de cereais (como por exemplo, do milho) nos moinhos de água, como o “Moinho de Balcão”, cedido pela Srª. Dª Diamantina Dias e familiares. O último faz parte de um belo conjunto de onze, envolvidos por uma vegetação luxuriante e acompanhados pela Ribeira de Vinheiros, em Soalhães, e dos quais foram recuperados mais três, pela Junta de Freguesia, com o apoio do Programa Leader + e da Câmara Municipal. Apesar das suas últimas moagens terem ocorrido na década de 1970, o “Moinho de Balcão” trabalha como antigamente, demonstrando-se como um dos motivos mais atraentes para os visitantes, alunos, turistas e caminheiros.
Similarmente, para além da Igreja Matriz de Soalhães (igreja românica), as capelas de S. Clemente, S. Tiago, S. Brás e S. Bento do Pinhão evidenciam a presença das construções de caráter religioso em diferentes partes da paisagem deste percurso pedestre.
Sacred architecture

Capela de S. Clemente

Waypoint

linha de água

Waypoint

Pedras Brancas

Waterfall

Queda de água e levada (Ribeira de Lardosa)

Building of interest

Moinho do Balcão

fountain

lugar de Vinheiros

Cave

Furna

Sacred architecture

Castro e Capela de S. Tiago

panorama

Miradouro De Santiago

Ruins

Eira e espigueiro (Vinheiros)

Waypoint

passagem técnica (perigosa com chuva)

Building of interest

Moinho 1

Building of interest

Moinho 2

Building of interest

Moinho 3

Building of interest

Moinho 4

Building of interest

Moinho 5

Building of interest

Moinho 6

Building of interest

Moinho da Lapa

Building of interest

Moinho 8

Building of interest

Moinho De Santiago

Building of interest

Moinho Cimeiro

Building of interest

Moinho 11

Waypoint

aldeia de Almofrela

Sacred architecture

Capela de S. Brás de Almofrela

Provisioning

Tasquinha do Fumo

Building of interest

Moinho

panorama

Panorâmica do Marco de Canaveses e Serra da Aboboreira

Sacred architecture

Igreja S. Martinho de Soalhães

IGREJA S. MARTINHO DE SOALHÃES A Igreja de Soalhães teve a sua origem num mosteiro do século XII, e foi sede do poder religioso num território muito importante e cobiçado pela nobreza medieval. No entanto, desta época, persistem apenas o portal principal, a moldura com pérolas do interior do óculo que o encima e o túmulo na capela-mor. No século XVIII, a igreja sofreu uma profunda transformação, adquirindo um interior profusamente decorado ao estilo barroco, onde reinam a talha dourada e os painéis de azulejo. Este é um dos mais belos monumentos e recantos da Rota do Românico no Vale do Tâmega e que vale a pena ser visitado.

Comments

    You can or this trail