Moving time  2 hours 50 minutes

Time  3 hours 33 minutes

Coordinates 1760

Uploaded March 31, 2018

Recorded March 2018

-
-
1,729 f
684 f
0
1.5
3.1
6.14 mi

Viewed 193 times, downloaded 6 times

near Arrimal, Leiria (Portugal)

Como a primavera já leva alguns dias decidi ir de visita ao jardim e ver como anda "o Jardineiro" a cuidar das rosas albardeiras e orquídeas. A Serra da Lua é o sítio ideal para ver as primeiras e alguns espécimes das segundas.
Diz-se António Maria Cacela que «Na Serra da Lua existia um único ponto de onde eram observáveis as torres de três igrejas: de Serro Ventoso, da Mendiga e de Monsanto. Segundo a lenda, quando em noites de lua cheia se coloca no local um cincaimão, materializado por corda ou cordel de trovisco ou alfavaca, de modo que três pontas consecutivas daquele símbolo apontem para as três torres, um cabrito de oiro vem aí repousar no seu abrigo subterrâneo. A chegada deste é precedida de uma brisa forte e de curta duração. Se o cincaimão estiver correctamente montado e as pessoas se não assustarem, o cabrito não dá pela sua presença e, saltando exactamente para o centro do símbolo, some-se para o seu abrigo. Da tradição oral recolhe-se ter havido já
várias tentativas para o apanhar, todas elas falhadas. Quem algum dia o tentou, sempre
foi detectado pelo cabrito, o qual o desmemoriou para que ninguém saiba do seu paradeiro exacto. Daí, o dizer-se que quem lá foi soube o caminho da ida mas não o do
regresso.” (in “Porto de Mós e seu termo”, António Martins Cacela, 1977).
Chegado ao cimo da Serra e tendo apenas encontrado algumas roseiras que de flor ainda não albardaram e muitas Ophrys Dyris e poucas de outras espécies, decidi desviar e ver como se encontra a "escultura em forma de espiral" plantada na encosta oeste em 1988 aquando do 1º Festival da Pedra e que carateriza de forma singular os eternos muros deste mciço calcário.
Por caminhos de pastores, algumas vezes impercetíveis, fui descendo até esse ponto já conhecido de outras andanças. Regressei subindo um pouco por achar que o exercício ainda era pouco para a tarde.
Se alguém pensar em seguir este trilho, aconselho que não dê as voltinhas nem suba de novo, tomando em alternativa um caminho rural que passa no sopé da serra e segue perto dos terrenos de cultivo da depressão do Arrimal. Por aí irá atravessar um carvalhal de Cerquinho, reminiscência dos antigos carvalhais que povoavam esta serra.
Photo

Imitação, em dimensão reduzida, do arco da Memória junto à Lagoa Pequena

Photo

Escultura e poço junto à Lagoa Pequena

Photo

Lagoa Pequena do Arrimal

Photo

Lavadoiro e painéis de azulejos em memória dos combatentes das ex-colónias

Photo

Uma das escultura do I Simpósio Internacional da Escultura em Pedra do Arrimal (julho 2010)

Photo

Painel de azulejos da antiga Junta de Freguesia

Photo

Caminho rural em direção à Serra da Lua

Photo

Minúscula e tímida

Photo

Ophrys dyris

Photo

Ophrys dyris 2

Photo

Muros e marouços

Photo

Ophrys dyris por todo o lado

Photo

Mais Ophys Dyris - será que não encontro outras?

Photo

Rosa Albardeira sem flores ainda

Photo

Que será? Orobanche?

Photo

pequenina e tímida a Orchys Conica

Photo

Cordeiro morto em decomposição

Photo

Orchis Langei

Photo

Orchis Langei

Photo

Scilla-monophylos

Photo

Fóssil

Photo

A Espiral

Photo

Espiral

Photo

Espiral

Photo

???

Photo

Ophrys tenthredinifera

Photo

Estradão na Serra

Photo

Cerquinho à beira do caminho

Photo

Dente de leão

Photo

outro caminho rural

Photo

dentro do poço e o cruzeiro

Photo

lavadouro

Photo

A Lagoa pequena do Arrimal

Photo

A Lagoa pequena do Arrimal

Photo

Poço à beira da lagoa

Comments

    You can or this trail