Time  7 hours 32 minutes

Coordinates 1606

Uploaded February 2, 2018

Recorded September 2017

  • Rating

     
  • Information

     
  • Easy to follow

     
  • Scenery

     
-
-
2,192 f
1,603 f
0
2.8
5.5
11.06 mi

Viewed 882 times, downloaded 35 times

near Gumirãis, Viseu (Portugal)

Às 8:00 estávamos na Cervejaria Quinta do Galo para o pequeno almoço. Atravessamos de novo o Fontelo e seguimos pela zona antiga de Viseu até chegarmos à Porta dos Cavaleiros. Mais adiante na pastelaria Dino, voltamos a "pousar", que ali havia esplanada com sol, bolos frescos (na quinta do Galo, fresco só o pão), e até uns belos "lanches" para o caminho. Voltamos a carregar as mochilas e continuamos, surpreendidos com a cidade, que está muito mais limpa e arranjada do que a conheci há uns anos - a zona ribeirinha da ponte sobre o Pavia está muito agradável.
E começou a dieta de fruta de tudo fomos apanhando pelo caminho, como aconteceria desde Viseu até Chaves - por isso não resisti a inserir um waypoint nesta etapa, só para agrupar algumas fotos das frutas que encontramos ao longo do dia.
O trajecto prosseguiu com muito asfalto, claro que encontramos a carrinha do pão a buzinar como acontecerá regularmente nas próximas etapas já sabemos que teremos sempre pão fresco! Depois de Bassar, onde fica uma fonte de água muito procurada, entra-se em terra, um bocadinho até chegar à capela de S. Luís, local bom apara o piquenique.
Mais adiante, no caminho romano, voltamos à natureza e só retomamos o asfalto na ponte sobre o Vouga, às portas do albergue. O caminho romano tem algumas partes ainda bem preservadas, são 600 metros e faria parte de uma rota que ligava Emerita (Mérida) a Bracara Augusta (Braga), passando por Viseu.
Pouco antes de chegarmos voltamos a contactar como combinado o sr. José Fernandes, Presidente da Junta de Calde (telef. 962836335). Fomos muito bem recebidos, chegamos ao mesmo tempo junto do albergue, fizemos a nossa inscrição e depois ele foi tratar dos seus fregueses, pois era Sábado, o dia em que eles tem mais disponibilidade para tratar dos seus assuntos na Junta.
O Albergue está muito bem, é um conjunto escolar restaurado, tudo com vidros duplos e cortiça a isolar as paredes, um bloco com 10 beliches e casas de banho, outro com cozinha e sala de estar / jantar. Há toalhas, cobertores, lençóis, almofadas.
Depois do banho fomos em demanda do Libório. Encontramos a D. Aurora na rua, e foi mesmo na rua que negociamos o jantar: optamos por bacalhau cozido com feijão verde, batatas e ovo. às 19:30 não falhamos, santamo-nos à mesa com o sr. Libório que entretendo chegou também para o jantar. A casa está muito decrépita, o mobiliário e a decoração feios e gastos, a luz mortiça, restos de uma passado glorioso... mas a comida é boa e caseira.

O CPI

O Caminho Português do Interior é um dos trajectos utilizados pelos peregrinos Portugueses para chegar a Santiago de Compostela. Por ele seguiam os que partiam da zona Centro, em redor de Viseu, e, claro, todos aqueles que viviam no eixo Viseu > Chaves. Também de Coimbra alguns seguiam por esta via, quando queriam evitar o Caminho Central que seguia via Porto > Valença, ou pretendiam juntar-se a outros grupos que partiam do interior.
Os peregrinos da Via da Prata, que segue de Sevilha até Astorga, onde se junta ao grande Caminho Francês, na maior parte das vezes deixavam a via da Prata em Granja de Moreruela onde tomavam a Via Sanabresa; outros saiam antes, em Zamora, entravam em Portugal por Quintanilha e saiam por Vinhais, atingindo depois Verin. Em qualquer caso todos acabavam por se juntar e nomeadamente a partir de Ourense todos seguem o mesmo trajecto até ao Campo de Estrelas - os do Caminho Interior Português e os da Via da Prata.
Foi um dos mais bonitos dos muitos caminhos que já fiz até Santiago, sobretudo na metade portuguesa do percurso. O Outono é mesmo a altura ideal para o fazer, com os dias mais curtos, as temperaturas amenas, os céus calmos. E a paisagem é espectacular, começando logo com os marmeleiros carregados, salpicando de amarelo toda a paisagem em torno de Viseu, o colorido feérico das vinhas que nos acompanha desde Reconcos, próximo de Lamego, até Vila Real, ou a beleza dos castanheiros e carvalhos vestindo-se de tons outonais até Chaves. E a abundância não tem limites: comemos toneladas de marmelos, maçãs, nozes (muitas nozes!), castanhas, amoras (serôdias!), pêras, uvas, medronhos...
.
Aqui ficam os links para os registos de cada uma das etapas:
Track Integral 457 km agregador das 21 etapas
Etapa 01 15.82 km Farminhão - Fontelo
Etapa 02 17.79 Km Fontelo - Almargem
Etapa 03 24.56 Km Almargem - Ribolhos
Etapa 04 23.90 Km Ribolhos - Aldeia do Codeçal
Etapa 05 21.02 Km Aldeia do Codeçal - Lamego
Etapa 06 21.06 Km Lamego - Santa Marta de Penaguião
Etapa 07 19.68 Km Santa Marta de Penaguião - Vila Real
Etapa 08 27.50 Km Vila Real - Parada de Aguiar
Etapa 09 23.76 Km Parada de Aguiar - Vidago
Etapa 10 18.99 Km Vidago - Chaves
Etapa 11 29.93 Km Chaves - Verín
Etapa 12 21.39 Km Verín - Viladerrei
Etapa 13 24.48 Km Viladerrei - Sandiás
Etapa 14 14.01 Km Sandiás - Allariz
Etapa 15 24.05 Km Allariz - Ourense
Etapa 16 23.98 Km Ourense - Cea
Etapa 17 21.40 Km Cea - Castro Dozón por Oseira
Etapa 18 25.38 Km Castro Dozón - Lalín - A Laxe
Etapa 19 18.04 Km A Laxe - Bandeira
Etapa 20 25.19 Km Bandeira - Pico Sacro - Lestedo
Etapa 21 14.21 Km Lestedo - Santiago de Compostela
.
Mapa geral da Peregrinação:
.
;
.
< - - >
Centro de Atividades Escutistas Viriato
Rua Do Coval
localidade

1 comment

You can or this trail